Como funciona o anti-spam na UFLA

O que é SPAM?

A definição de spam do ponto de vista prático é o envio abusivo de correio eletrônico não solicitado em grande quantidade distribuindo propaganda, correntes e esquemas de “ganhe dinheiro fácil”. É o envio de correio tentando forçar a leitura pela pessoa que recebe que outroura sequer optou por este recebimento. Um desperdício de recursos da rede pago por quem recebe. Observando de modo restrito, que mal faz enviar algumas centenas de correios em mala-direta para outrem? De modo mais amplo, quanto não se gasta levando em consideração o absurdo volume anual de correio eletrônico enviado?

No ambiente internet, “spam” significa enviar uma mensagem qualquer para qualquer quantidade de usuários, sem primeiro obter a expressa e explícita autorização daqueles destinatários. Este procedimento, propiciado pelo baixo custo de envio de mensagem eletrônica, causa inconveniência e custo para o destinatário. O “spammer” (o autor do “spam”) só está olhando para os seus interesses egoistas e imediatos. Ele é capaz de passar por cima de qualquer regra mínima de convivência. Às mensagens enviadas pelo “spammer” nos referimos como “Mensagens Não Solicitadas”. Este não é o termo próprio, pois é um contrasenso admitir-se que alguém precisa de uma autorização especial para nos enviar uma correspondência. Na verdade, o que se quer é ter mecanismos que reduzam a níveis mínimos o volume de “junk emails” (mensagens “lixo”) em nossas caixas postais eletrônicas.

Como é tratado o SPAM na UFLA

Na UFLA os emails recebidos podem ser filtrados e identificados como spam para facilitar a diferenciação diante daqueles que não o são.

Mesmo classificada como SPAM, a mensagem é entregue ao destinatário. Cabe ao destinatário interferir na entrega da mensagem. Tal interferência pode ser feita através de configurações e para isso o usuário deve entrar no endereço: https://rumba.ufla.br/spam/